Secretário Municipal de Educação confirma retorno das aulas de forma híbrida e facultativa a partir de fevereiro

Secretário Municipal de Educação confirma retorno das aulas de forma híbrida e facultativa a partir de fevereiro

Nesta semana, em entrevista para as rádios Fronteira FM e Cultura AM, o secretário municipal de educação, João Carlos Reolon, disse que as possibilidades de retorno presencial estão sendo construídas desde o ano passado. Neste período, a secretaria tomou todas as medidas necessárias para precaução e cuidado para atividades presenciais. A partir de diversas notas técnicas, a retomada foi planejada baseada em notas de especialistas, pois a sustentação é legal. 

“O fato de retomar as atividades presenciais, não significa que os pais sejam obrigados a liberar os filhos para as aulas. O que existe é uma possibilidade. Fizemos um levantamento na EMEis, e 66% dos pais são a favor do retorno”, afirma o secretário. Reolon acredita que em poucos dias de retomada, a adesão dos estudantes e famílias será gradativamente maior. Segundo o secretário, ofertar a educação presencial de forma escalonada e com opção para as famílias, é uma questão de cidadania. 

Questionado sobre a discussão em torno da obrigatoriedade de as crianças retornarem de forma presencial, ele acredita que não é o caminho. Segundo Reolon, “a obrigatoriedade é uma questão negativa, pois, se não for uma escolha livre e optativa, atrapalha o fator de socialização e aprendizagem”. 

O ano letivo nas escolas municipais inicia no dia 18/02. Nesta primeira semana, as atividades serão com os professores e diretores, que terão a oportunidade de debaterem dúvidas e discutirem as condições de retomada das aulas. O trabalho será realizado em conjunto com os profissionais da Secretaria Municipal de Saúde.

As atividades com os alunos só retornarão no dia 24, mas nesta semana as atividades seguirão o modelo do ano passado, de forma remota. As aulas presenciais com os alunos do ensino fundamental, serão retomadas a partir do dia primeiro de março, em um cronograma com 50% dos alunos na escola e os outros 50% em casa. Já o ensino infantil, segundo Reolon, ainda está sendo organizado o calendário, com início previsto para a metade de março. 

“Que esse retorno seja, acima de tudo, responsável, pedagógico e que comece gradativamente para fortalecer a equipe diretiva, os professores e o vínculo entre famílias e escola, para aproveitar essa oportunidade de ensino”, pontua o secretário. 

Sobre a forma de acompanhamento do conteúdo pelos alunos, será feito um rodízio com os alunos. O avanço do conteúdo vai se dar de forma mais lenta, pois será preciso uma atenção maior dos educadores para com os alunos, tanto os que estarão em sala de aula, quanto os que estarão em casa. Os professores que fazem parte do grupo considerado de risco, ainda permanecerão em ensino remoto. O período de duração das atividades não vai ultrapassar de 3h, sendo também a alimentação feita na escola, com higienização feita após as aulas. 

“O recomeço tem esse efeito da aprendizagem, da ressocialização. problemas e dificuldades irão surgir e teremos que estar preparados para enfrentá-los. Nos colocamos à disposição dos pais para visitar as escolas, para que possamos estabelecer um ambiente seguro de educação para nossas crianças”, concluiu Reolon.

Comentários