Festas e bailes com bandas aguardam decreto para retornar no Estado

Festas e bailes com bandas aguardam decreto para retornar no Estado

Foto: Tchaylen de Souza/ESBC

Nesta segunda-feira, 19, os profissionais de casas de baile e de bandas do Rio Grande do Sul deram mais um passo importante em busca da retomada gradual das atividades artísticas e de lazer. Em reunião com equipe da Secretaria Estadual da Saúde (SES), o segmento foi liberado da obrigatoriedade de promover um evento-piloto para testar os protocolos sugeridos, e agora aguarda o aval final do governo e a publicação de decreto liberando as flexibilizações. 

A expectativa do grupo é de que a regulamentação saia ainda no mês de outubro, permitindo a volta das festas e bailes já em novembro. A decisão do governo gaúcho de dispensar a realização de evento-teste já havia contemplado o segmento de casas de festas infantis, que teve os protocolos aprovados na última quinta-feira (15) e aguarda a publicação do decreto estadual, que pode ocorrer já nesta terça-feira (20). Com isso, o evento-teste que vinha sendo organizado pelo Grupo Unidos Pela Volta do Entretenimento RS desde agosto, e ocorreria no dia 26 de outubro no Clube Tradição, em Canoas, não será mais necessário.

Na quarta-feira (21), é a vez dos representantes de eventos sociais, como formaturas e casamentos, reunirem-se com a equipe da SES, também para avaliar as regras para flexibilização das atividades. Com a tendência de também serem dispensados de evento de simulação, os profissionais esperam ter suas atividades também incluídas nos decretos que devem sair nos próximos dias.

No caso dos bailes e festas com banda, além de todo o aparato de higiene e proteção exigidos para enfrentamento à pandemia, como uso de equipamentos de proteção individual (EPIs), será obrigatória a venda de ingressos on-line, para permitir a rastreabilidade dos contatos, e autorizadas apenas pessoas de uma mesma família ou grupo de convívio nos camarotes, que terão se ser obrigatoriamente mantidos com distanciamento de acordo com o tamanho do local do evento-, para permitir que haja dança durante o baile. É vedada a pista de dança de uso comum.

Ainda poderá ser comercializada bebida nas mesas, para evitar ida e aglomerações nos bares das casas de evento. Alimentação, por enquanto, não será permitida nesse retorno inicial. As regras de teto de ocupação sugeridas seriam de 50% de público e colaboradores para casas de eventos das cidades com bandeira laranja e de 75% para os estabelecimentos de municípios com bandeira amarela no distanciamento controlado.

Comentários