Pesquisa da Unipampa apresenta aumento da cesta básica em agosto

Pesquisa da Unipampa apresenta aumento da cesta básica em agosto

Projeto ‘Acompanha Dr.’ mostra a variação do cesto de produtos básicos da família na Fronteira Oeste

Uma pesquisa da Universidade Federal do Pampa, apresentou a variação dos produtos considerados essenciais na cesta básica do trabalhador. Referente aos últimos 2 meses na região da Fronteira Oeste, a pesquisa abrangeu as cidades de Itaqui, Uruguaiana e São Borja. O estudo foi feito pelo professor do campus de Itaqui, José Carlos Severo Corrêa, economista com mestrado e doutorado em Desenvolvimento Regional.

A pesquisa surge em complemento a um projeto maior que pretende acompanhar o desenvolvimento na região da Fronteira Oeste. O professor explica que em função da pandemia surgiu a possibilidade de fazer a pesquisa, por intermédio da descoberta do aplicativo da nota fiscal gaúcha, no qual é possível verificar o preço dos produtos que tiveram nota fiscal emitida nos últimos dias. O projeto chamado de “Acompanha Dr.” fez o levantamento dos itens alimentícios considerados essenciais na cesta básica do trabalhador, e também da cesta básica de produtos da família.

A cesta básica de alimentos do trabalhador, também chamada de ração essencial, replica o cálculo feito pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE). Seu principal objetivo é apurar ganhos ou perdas no poder de compra do salário mínimo do trabalhador, sendo composta por 13 alimentos. Na pesquisa realizada na região, entre os meses de julho e agosto, houve uma elevação do preço da cesta nos municípios de Uruguaiana e Itaqui. Já em São Borja houve redução de um mês para o outro. O valor da cesta em Uruguaiana, teve uma suba de R$327,09 para R$379,23 (6,02%). Em Itaqui, o valor passou de R$380,09 para R$391,05 (2,88%). Em São Borja, ao contrário das outras duas cidades pesquisadas, o valor passou de R$359,86, em julho, para R$350,14 em agosto (-2,70%).

Também foi pesquisada a Cesta de Produtos Básicos da Família, composta por 51 itens, tendo por base a pesquisa de orçamento familiar (POF) realizada pelo IBGE em 2002/2003 que contempla o consumo médio de famílias compostas por três pessoas, cuja renda média é de até cinco salários mínimos (IEPE, 2009). Com relação a pesquisa de valores dessa cesta, os dados seguem a mesma linha, mas com menor taxa de aumento e de redução. Em Uruguaiana, o valor da cesta passou de R$711 para R$728,29 (2,36%). Em Itaqui, a suba representou 2,23%, passando do valor de R$740,80 para R$757,32. Em São Borja, a pesquisa mostrou novamente uma redução de julho para agosto, mas uma redução bem pequena. Em julho, o valor da cesta estava em R$715,73, e em agosto, R$ 714,18.

Também foram apontados no trabalho do professor, os produtos com maior aumento no mês de agosto na região, nos municípios de São Borja, Itaqui e Uruguaiana. Nas três cidades os aumentos foram diferentes com relação aos produtos. Em Uruguaiana, os produtos que sofreram mais aumento foram: alvejante (27,08%), alface (16,52), arroz (15,55%), desinfetante (14,86%) e pasta dental (14,85%). Em Itaqui, os produtos apontados como vilões foram óleo de soja (39,97%), cenoura (27,22%), tomate (20,85%), café (20,18%) e carne de frango (18,05%). E em São Borja, os produtos que tiveram uma maior alta do mês de julho para agosto foram: margarina (30,61%), batata inglesa (24,23%), pasta dental (22,08%), iogurte com sabores (14,47%) e arroz (15,57%). 

No período pesquisado também aparecem produtos com redução de valor. Dentre os itens pesquisados, os produtos que tiveram maior redução em São Borja foram: papel higiênico (-40,02%), aparelho de barbear (38,07%), maçã (32,77%), sabonete (24,49%) e repolho (21,53%).

Para ver os itens da cesta, quantidades consideradas e os seus preços médios, é só acessar o endereço https://sites.unipampa.edu.br/adr/

Cálculo:

Para a realização da pesquisa, foi feita a coleta e tabulação dos preços praticados para o conjunto de produtos considerados para cada tipo de cesta, de acordo com os seguintes passos:

– coleta no último dia útil do mês por intermédio do aplicativo da Nota Fiscal Gaúcha;

– seis preços de cada produto independente da marca, levando-se em conta apenas as especificações de cada item, por exemplo, arroz tipo 1 (kg) ou macarrão com ovos (500gr);

– não há de distinção de estabelecimentos, independente de natureza, tamanho ou localização;

– não são coletados mais de um item no mesmo estabelecimento, salvo se observe muita discrepância de preços como o caso de uma promoção, que é desconsiderada;

– por se tratar de preços constantes em nota fiscal, são ignoradas notas com mais de dois dias.

Após a coleta e tabulação dos preços, apura-se a média dos mesmos multiplicando-se pela quantidade recomendada de cada item. Após faz-se a ponderação das médias, identificando-se qual a importância de cada item ou grupo de itens na cesta de produtos.

Comentários