Prefeitos da região das Missões aguardam definição do Estado sobre cor da bandeira

Prefeitos da região das Missões aguardam definição do Estado sobre cor da bandeira

Após o anúncio da troca da cor da bandeira de nossa região, a região das Missões, para a vermelha, prefeitos se reuniram para discutir a possibilidade de contestar os dados do Governo.

O final de semana foi marcado por reuniões da Associação dos Municípios das Missões.

O temor dos prefeitos é de que o comércio tenha que fechar a partir desta terça-feira, caso o Governador Eduardo Leite não acate a contestação enviada pela região.

Até o final da tarde de hoje, será anunciada a decisão do Governador, com relação a região das Missões e também com relação a outras regiões que fizeram suas contestações.

Até definição por parte do Estado, também estão em bandeira vermelha as regiões de Caxias do Sul, Erechim, Palmeira das Missões, Passo Fundo, Porto Alegre, Capão da Canoa, Novo Hamburgo e Canoas. As regiões de Porto Alegre, Canoas, Novo Hamburgo e Capão da Canoa, por reincidirem na situação de alerta sanitário,  terão agora de permanecer por 14 dias com a maior parte do comércio fechado. O mesmo ocorre em Caxias do Sul, por ter ficado sob bandeira vermelha duas vezes num período de três semanas.

De acordo com o Prefeito Eduardo Bonotto, um dado que pesa para que nossa região esteja em alerta, são o aumento de mortes por COVID. Em uma semana, o número passou de 8, para 18 mortos. A cidade de Santo Ângleo lidera a lista, com 14 óbitos, depois vem São Borja com 2, São Luiz Gonzaga com 1 e Guarani das Missões também com 1. Em virtude dessa realidade, o próprio prefeito Eduardo Bonotto não se encontra muito otimista com a alteração de cor.

Após decisão do Governo, decreto municipal será publicado com as novas normas a serem seguidas pela comunidade. Caso a bandeira a ser seguida seja a vermelha, os estabelecimentos que não prestam serviço essencial, e nem comercializam produtos essenciais, não poderão funcionar durante essa semana.

Comentários