Aulas presenciais poderão retornar em julho de forma gradual

Aulas presenciais poderão retornar em julho de forma gradual

O governador Eduardo Leite anunciou, durante live nesta quarta-feira, 27, que o retorno das atividades escolares no Rio Grande do Sul irá ocorrer de forma remota a partir do dia 1º de junho para as instituições públicas e privadas de ensino. A regulamentação será publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) até esta sexta-feira.

Um protocolo de saúde específico para o retorno das aulas está sendo organizado pelo governo do RS para entrar em vigor quando as aulas presenciais iniciarem. Conforme o governador, elas retornarão em etapas, que deverão ser anunciadas analisando a situação da pandemia no Estado, tendo, a princípio, o início do retorno de aulas presencial, a partir de primeiro de julho.

Esse retorno presencial aconteceria gradualmente com algumas séries que serão divulgadas posteriormente. Existem alguns cenários em estudo. À princípio, o retorno inicial seria para o ensino infantil e ensino médio. De acordo com o Governador, apesar de as crianças terem mais dificuldade em entendimento das normas de distanciamento, seriam eles que mais tem necessidade de um ensino presencial.

Para a tomada de decisão, o governo considerou a capacidade de autocuidado do educando, o uso de aulas não presenciais, o número de alunos por turma, os recursos financeiros necessários para a adoção de Equipamentos de Proteção Individual (EPI). Além disso, também foi analisado a complexidade do uso do transporte escolar, da circulação de pais e alunos nas escolas, a logística de refeitórios, a situação em que pais e alunos decidem apenas manter o ensino domiciliar, protocolos de saúde, sala de isolamento na escola para alunos que apresentem sintomas. 

O novo método deve obedecer aos protocolos do Distanciamento Controlado do governo estadual e aos protocolos específicos que serão publicados pela Secretaria Estadual de Saúde (SES). Além disso, um Comitê de Emergência será instalado nas escolas para monitoramento da execução dos protocolos de saúde.

Comentários