Entrega da Declaração do Imposto de renda é adiada

Entrega da Declaração do Imposto de renda é adiada

Muito cobrado pela demora das medidas econômicas para a travessia na crise da Covid-19, a Receita Federal anunciou ontem (1/04) que o fim do prazo da entrega da declaração de Imposto de Renda de pessoa física foi adiado para o dia 30 de junho. Inicialmente, o prazo se encerrava em 30 de abril.

A Receita informa que a medida foi adotada a pedido de contribuintes que alegaram estar tendo problemas de acesso a documentos ou ajuda especializada. A instituição avalia ainda o calendário de restituições, previsto para iniciar no fim de maio. Fato que pode gerar uma tranquilidade para os contribuintes que já vivem um momento de grandes angústias.

Segundo Murillo Torelli, especialista em Contabilidade Financeira e Tributária e professor da Universidade Presbiteriana Mackenzie, a modificação faz parte de um pacote de medidas que rrente:ão:nte: 6972-0 Federal o governo federal divulgou e que devem ajudar as empresas e as pessoas físicas a superar esse período. “As medidas incluem adiar o pagamento do PIS/Pasep, Cofins e da contribuição previdenciária patronal de abril e maio para agosto e outubro e zerar o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) sobre o crédito”, ressalta.

“Mas a medida que mais impacta inicialmente as pessoas físicas é a alteração/postergação da data máxima para entrega da declaração de ajuste anual do imposto de renda pessoa física (IR), o prazo final estava estipulado para 30/04. Com o decreto publicado, a data final foi postergada em 60 dias”, complementa. Outra medida importante que o especialista destaca é a redução da jornada de trabalho ou a suspensão do contrato de trabalho com complementação de todo ou parte do salário pelo governo.


O professor chama a atenção ao fato de que, caso a declaração já esteja preenchida e o contribuinte já tenha os documentos, “não faz sentido postergar a obrigação da entrega, pois essa alternativa só é válida para quem ainda não conseguiu os dados ou está com dificuldades para contratar um profissional capaz de elaborar a declaração”, conclui.

A Receita estima que 27% dos contribuintes já fizeram o acerto com o Leão em 2020.

Comentários